Estamos Concientes e determinados de que só a diversidade dos seres vivos, constitui a "essência da vida" e de nossa energia ou força coletiva. Nosso objetivos são mudança! E isso estamos fazendo, com nossos projetos, idéias, e objetivo planetário comum de atuar local e globalmente - desenvolver sem devastar -, reconhecendo a importância da união, solidariedade, verdade, trabalho.
O sonhado desenvolvimento sustentável!
MENU
MAIS LIDOS
EVENTOS
Diretoria do IBF Eco Global
Personalidades
Parque Tecnológico Agroindustrial do Oeste
I Fórum de Planejamento de Cascavel/PR
SOS PLANETA TERRA
SOS Planeta Terra - Professores Pardais
Postado em 05/05/2011
Muitas pessoas, (em auto-indagações), meditam: como buscar formas solidárias e solução de problemas ambientais planetários e locais?  Quantos "professores pardais" têm idéias que, se colocadas em pratica, fariam revoluções, mudanças e trariam benefícios para a sociedade?  Seja para organizações públicas, empresas, cooperativas ou universidades. Ou diretamente para a eco-economia local? Ou global.

E por que tais idéias não decolam se, planificadas, (depois de fluir no campo da imaginação), custam a se materializar e se tornar realidade?   Será que os múltiplos fatores (a globalização, a hipercompetição e a multisegmentação dos públicos-alvo) do mercado consumidor, permitem tantas perdas de oportunidades?
Por isso, a "idéia de vender" é diversa da possibilidade de se "ender uma idéia"!

A culpa, certamente não é do autor de tal idéia. A sociedade sabe quem são os algozes carrascos que (com medo de perderem seus cargos públicos) se escondem em instituições que não funcionam, sendo ralos e esgotos de verbas, (com viagens que vão do nada à coisa alguma) e imagens cinematográficas, num eterno cronograma anti eco-desenvolvimento.  O roteiro tem começo, mas jamais meio, nem fim!                                                                                                            

Assim, como se compra idéias? Por quilo, litros, metros, quilômetros ou original inovação? Ou função?

É fácil é vender um produto, mas como vender um conceito inovador?  Essa verdade nos remete a falar sobre comportamento social-humano. Não só a capacidade de vender está em jogo!   Mas, o mercado de venda de idéias é, no mínimo, inter relacionado na visão de futuro de outro empreendedor-parceiro que (...com capacidade!) pode ver e ter perspectiva de realização numa idéia pré-concebida.  

O poderoso espírito empreendedor sabe e acredita que tudo que é pensado pode ser realizado. A ilusão é um véu, que os incompetentes colocam como disfarce, no olhar de sua incapacidade, impedindo que se crie e conceba projetos inovadores.  Faltam conhecimentos, excelência, criatividade, competência!

Sabemos que a sociedade é conservadora e castradora!  Mesmo em pleno século 21, (vender ótimas idéias é valioso avanço), falta o ?feeling? da atenção e interesse futurista de se ver a idéia de terceiros.

É preciso se saber que as melhores idéias (sugestões de um planejador e projetista) mesmo nascendo ?quase? prontas precisam, (de recursos, verbas, suporte técnico, equipe e parceiros institucionais), além de apoio de outros empreendedores. E se, apresentada, aprovada, será implantada e lapidada!

A arte de explicar é outra arte. Ser claro, objetivo, sucinto. E a palavra-chave é praticidade.

É um processo individual.  Inexiste espaço para exposição das idéias.  E isso tem origem na formação cultural-escolar. Aprendemos por um processo repetitivo, de condicionamento ou sistema educacional sem inovação.  Em realidade, nada se cria e nada se transforma. E pior: pouco se explora da capacidade criativa das pessoas.  Seja no caráter da analise e concepção de novas idéias, novas definições e novas soluções para problemas comuns, válidos para diversas regiões do planeta.

Na área empresarial, a opção na maioria das vezes é não correr riscos, nem mudar o que parece estar dando certo. E assim, sem riscos nem mudanças, os investimentos ficam como vaidades locais, onde os empresários não se inserem na globalização.   

Séculos de atraso e deitados em berço esplêndido! As situações de estagnação eco-econômica se cristalizam, se perpetuam, gerando crises inarredáveis no eco desenvolvimento. Pouco ou nada sabem de riscos ambientais, de colapsos, de sobrevivência (pessoal e empresarial), nem dos impactos globais que, repentinamente incidirão em nossas famílias, nas aldeias em que moramos.

Estimular a criatividade, desde as soluções empresariais mais complexas às simples, é ótimo às crianças. Informar sobre crescimento industrial, desenvolvimento tecnológico, inovações, soluções ambientais, para criar nova mentalidade, é um segredo com senha e códigos.  Uma alquimia.  Construir a escola de líderes ativos, criativos e até geniais, é uma missão possível!   Basta querer, saber e ousar! Nada nasce pronto!  

Isto é possível! Exige só mudança da postura dos formadores de opiniões, liderados e, óbvio, dos líderes para aprender primeiro saber ouvir, querer fazer e poder ter modéstia de oportunizar idéias.

Lamentavelmente, poucos dos que assumem cargos públicos têm conhecimento, discernimento inovador e um ?staff? que não façam as instituições da sociedade de ?bobos? ou otários.  Os constrangimentos são um atestado de maldade. E sem psicologia, exclamam: ?Que pena que esta idéia não é nossa!??

Assim, se houvesse um ambiente sério de C&TI, com respeito às idéias de terceiros (da sociedade que mendiga favores!... e oportunidades!), haveria soluções e crescimento cooperativo.

É preciso saber criar, falar e expor, vender mais e com certeza executar e expandir projetos... sem medo de errar.  E, respeitar o valor do "copyright", (capital intelectual), mais do que telas de impressionistas.

Por isso, procuramos pessoas ou grupos de iguais empreendedores, que saibam se doar em nobres empreendimentos de inestimável valor agregado para si e toda sociedade. Assim, temos um artigo?  Ou anuncio classificado?  Bem!  Parece mesmo um desabafo da constante indignação brasileira!                                                                                                          

Há saída de emergência para a incompetência? O mundo é pequeno! ... e dá voltas!  Mas e o volume dos resíduos de coliformes fecais e de petróleo cresce. E os impactos ambientais, idem. Mas e os lixos da energia nuclear? E sua surpresas inesperadas? Poluição dos recursos hídricos? Dengue? Malária? Biopirataria? E florestas devoradas por dentes da moto serras, continuarão? ...sem respostas!?  Até o caos da ecoapocalipse!

"Idéias no papel" justificam investimentos no "papel das idéias" pelo eco desenvolvimento do país?

Dr. Gilnei Fróes -  médico-veterinário,
gestor ambiental, ecólogo, amazonólogo e coordenador do Programa
Internacional "SOS" Planeta Terra. Em 1990, indicado ao "The Rolex
Awards" (Suíça) e ao "The Global 500 Awards (Kenia), por entidades de SC
e RS. Premio de Jornalismo da Brigada Militar do Estado do Rio Grande
do Sul, com o artigo "TAIM: Paralelo 33... ameaçado!"   Autor do livro "Dossiê da Amazônia".  Presidente do "Instituto Bering Fróes Eco Global".


ENQUETE
A Amazônia corre risco de extinção?
Sim
Não
Pouco
Nunca acabará
WEB RÁDIOS
ECO GALERIAS
Cascavel - por Sergio Sanderson
Ponte Molhada - Cascavel
ARQUIVO SOS
NASA earth observatory
ÁREA RESTRITA

Informe a senha para acesso

ENTRAR

 
1570280 visitas.

R.Amazonas, 477 A

Cascavel | São Cristóvão

gilnei@ibfecoglobal.org

+55 45 3227 7750

<a href="http://www.pevermelho.art.br">Pé Vermelho Comunicação</a> PeVermelho.art.br Waldemar Lutinski Rafael Lutinski Luis Carlos de Brito desenvolvido por Pé Vermelho Comunicação